GALA PAPA TRILHOS 2017 - 10º ANIVERSÁRIO - 01 de Dezembro. .

Papa Trilhos® - Fernão Ferro/Seixal

Os Papa Trilhos surgiram a partir de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pelo BTT e cujo o lema é "Pedalar com a Natureza".

Aos domingos de manhã alguns elementos da equipa e outros amigos juntam-se para ir pedalar. Por isso se também quiseres ir pedalar, aparece no Parque das Lagoas de Fernão Ferro/Seixal (largo das festas populares - GPS 38,557800º -9,091630º), aos domingos, 08.30h (horário de inverno). Vê a mensagem de
"Ponto de Encontro" publicada todas as semanas onde são agendadas as voltinhas e passeios dessa semana. Uso obrigatório de capacete.
Contactos: papatrilhosbtt@papatrilhos.com

Nota: os participantes em voltinhas ou eventos Papa Trilhos aceitam a cedência dos direitos de imagem nas fotos tiradas para publicação no site.

Calendário Papa Trilhos

Iniciativas Papa Trilhos

- eventos e passeios - consultar calendário.
- Tróia/Sagres, 16 Dezembro - informações.
- Gala Papa Trilhos 2017, 01 Dezembro - inscrições.


sexta-feira, 4 de junho de 2010

1º Raid da Tapada de Mafra - 2010-05-30 - 18Km

Reportagem de CaJo San

06h30, trrrrrriiiiiiiiiimmmmmmm…….

Porcaria do telemóvel, dá a sensação que ainda agora me deitei. A Mariana, a Helena San e o Cajo San montaram as biclas na carrinha e “ala que é Cardoso” até à Tapada Nacional de Mafra. Parados em frente ao Palácio de Mafra, pensámos que era logo ali ao lado, puro engano. A porta para o I Raid BTT era outra, Portão do Codeçal. Depois de percorridos mais alguns kms, bingo! Ninguém é perfeito a ler o GPS. Só li até à página 32. Mas tínhamos logo alguém que nos indicou um sítio onde estacionar a carrinha. Chegámos um bocadinho decepcionados com o estado do tempo. Em Fernão Ferro estava um dia lindo e limpo sem nuvens, mas em Mafra, até parecia que ia chover. Inclusive estava frio. Nós íamos preparados para o calor. Mas ainda não eram 09h00, desata a afastar as nuvens e, milagre, sol, e do forte.

Ainda estávamos a tirar as bicicletas de cima da carrinha e já alguém grita “olha o javali”, era um javali fêmea com duas crias a passear no meio do pessoal e dos carros. Passou mesmo junto à minha carrinha e foi para o riacho que ficava nas traseiras. Parecia que não era nada com ele, tal era o “à vontade”.

A seguir veio uma pessoa que trazia no braço, por cima de uma luva, um Bufo-real. Lindo bicho. 09h15, chamada para passarmos a zona de check-in para a verificação, se tínhamos capacete.

Diz a Helena: -Vi passar um equipamento dos Papa Trilhos. Fomos ver. Era o Samuel e o Bruno com mais dois amigos. Perdoem-me, mas não me recordo dos nomes. Afinal não éramos só nós. Depois de breves explicações sobre o que se iria passar (o briefing do passeio), 09h30 começou então. Nós tínhamos optado pelos 18 km, em função da Mariana.

Alguma confusão no início mas sem atropelos, e lá fomos nós. De realçar duas grandes subidas. Essa coisa dos acumulados não são para mim, não sei ver essas coisas, mas que subimos, subimos! Talvez para aí uns 300 m. Mas o passeio estava ao alcance da Mariana, e portou-se 5*****, só ainda não tem o ritmo, quer subir tudo rápido e depois… por vezes apeia. É preciso ter calma.

Vimos alguns gamos que passeavam. A paisagem era deslumbrante. Tudo era muito verde. Percurso bem marcado, não tínhamos hipótese de errar. Abastecimento aos 9km, como eu gosto, sandocha mista, maçãs e peras e aguinha. Sem confusão. Estávamos junto a um antigo pavilhão de caça que foi remodelado e estava aberto para os visitantes da Tapada. Deixaram-nos entrar para tirarmos umas fotos. Uma foto do Lince ibérico em honra da Ana Ferreira (filha do Luís Ferreira) que fez um trabalho para a escola sobre o referido animal.

Já a descer para a chegada, vimos alguns pedalantes que levavam uma bicicleta a mais. Pertencia a um pedalante que teve um encontro imediato com um gamo. Até deu direito a pontos no queixo e tudo. Pena foi, por parte da organização, não ter disponibilizado uma viatura para levar a bicicleta, visto que para aqueles amigos do pedal, o passeio de bicla acabou, porque tiveram de levar a bicicleta que estava a mais pela mão. Uma falha.

Chegados ao fim desta pequena epopeia, registaram-se os dorsais (236, 237 e 238). Disponibilizaram uma pequena carrinha para transporte do pessoal para os banhos. Levaram-nos às instalações do Sporting Clube do Livramento. Banhos quentinhos. No regresso à Tapada já estava o comboio à nossa espera para nos levar ao local do almoço. Tudo muito bem organizado. Um pavilhão com mesas onde nos servíamos de jardineira de caça (javali e veado), mesas com caldo de legumes, mesas com sobremesas várias. As bebidas até estavam perfiladas em cima das mesas. Tudo sem atropelos ou faltas. Cá fora as mesas não faltavam e todas à sombra.

Havia algumas pessoas a reclamar por não terem bebidas alcoólicas incluídas, nomeadamente imperial que se dizia custar 1,00 €. Gostámos de tudo. Tudo estava muito bem organizado, nada faltou. As pessoas que nos acolheram foram extremamente simpáticas e estavam sempre prontas a prestar algum esclarecimento, caso fosse necessário.

Passeio a repetir, pelo menos o dos 18 km. Sobre o dos 40 km, parece que foi muito duro. Alguém referiu ter altimetria superior a 1000 m de acumulado. Para estes poucos representantes dos Papa Trilhos, está aprovado. Para o próximo ano, penso que lá estaremos, mas se mantiverem o mesmo número de participantes. Para mais será necessário outro apoio logístico.

Sem comentários:

Enviar um comentário