BY NIGHT 2017 - 29 DE JULHO.

Papa Trilhos® - Fernão Ferro/Seixal

Os Papa Trilhos surgiram a partir de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pelo BTT e cujo o lema é "Pedalar com a Natureza".

Aos domingos de manhã alguns elementos da equipa e outros amigos juntam-se para ir pedalar. Por isso se também quiseres ir pedalar, aparece no Parque das Lagoas de Fernão Ferro/Seixal (largo das festas populares - GPS 38,557800º -9,091630º), aos domingos, 08.00h (horário de verão). Vê a mensagem de
"Ponto de Encontro" publicada todas as semanas onde são agendadas as voltinhas e passeios dessa semana. Uso obrigatório de capacete.
Contactos: papatrilhosbtt@papatrilhos.com

Nota: os participantes em voltinhas ou eventos Papa Trilhos aceitam a cedência dos direitos de imagem nas fotos tiradas para publicação no site.

by night 2017

Calendário Papa Trilhos

Iniciativas Papa Trilhos

- eventos e passeios - consultar calendário.
- renovação do seguro da FPCUB 2017 - consulta.

sexta-feira, 4 de setembro de 2015

6ª Peregrinação Papa Trilhos a Fátima - 28 a 30 Agosto - 262Km

Reportagem por Paulo Alex
Videoreportagem por Rui Inácio

Estamos em rescaldo de mais uma grande aventura Papa Trilhos! Foi a 6ª Peregrinação a Fátima, pela rota do Atlântico, nome de baptismo pelos Papa Trilhos, por não ser um caminho tradicional.

A verdade é que revelou-se um dos melhores trajectos que efectuámos, e, na opinião da maioria e talvez mesmo unanime, o melhor percurso para Fátima.

Não sendo esta uma reportagem tradicional, esta aventura também não o foi, embora se tenha mantido o acto tradicional de irmos mais uma vez a Fátima (gostaram destas contradições?)

Os 3 dias foram distribuídos com alguma exigência física, mas sem grandes percalços técnicos. Quase todo o percurso era ciclável, tirando pequenos troços com um pouco de areia, ou umas pedras maiores no caminho, ou mesmo umas subidas manhosas (estou a falar na inclinação, obviamente!), tivemos que optar pela caminhada. A excepção está mesmo na "Labruja da Bezerra", que não nos iremos esquecer tão cedo... mas uma aventura é mesmo assim, se fosse fácil, todos a faziam!

O inicio do 1º dia foi bastante rolante, com a saída de Fernão Ferro para apanharmos o 1º comboio do dia na estação de Coina. Os horários foram cumpridos e às 06.00h já estávamos em Sete Rios. Depois foi só pedalar até aos arredores de Sintra, sempre por estrada e com algumas subidinhas. A seguir à zona de Terrugem, tivemos o 1º problema técnico - a pedaleira da bike do Nelson amuou e teve que ter uma intervenção caseira que aguentou o resto da Peregrinação. Ainda a meio da manhã, começámos já a ver o mar e a sentir aquela brisa característica que também ajudou a cortar o calor nos 2 primeiros dias. Depois, fomos quase sempre junto à costa. Fotos daqui e acolá, pois as vistas convidavam a registar os momentos e o cenário.

Como estávamos ligeiramente atrasados em relação ao previsto, a hora de almoço coincidiu com a nossa passagem na Ericeira. Restabelecemos as forças e seguimos viagem pela estrada fora. Seguiam-se paisagens com praias, o contorno da Foz do Sizandro, o Lizandro já havíamos passado, e um sobe e desce constante.

Na zona de Santa Cruz, paragem para foto de grupo, pois lá no alto a vista convidava a uma paragem para restabelecer o níveis psicológicos, pois estes também têm de ser alimentados.

Mais uns kms pela frente e subidinhas a condizer, chegámos a Areia Branca, não a tempo de um mergulho de grupo, embora houvesse quem ainda fosse provar o tempero do mar, mas para descansar (achávamos nós) e jantarmos no restaurante mesmo junto à praia - Foz Restaurante.

No dia seguinte, a alvorada foi para sairmos às 08.15h. Entre foto de grupo e outros afazeres, o atraso foi mínimo. Esperava-nos um dia mais curto, tanto em distância, como em altimetria. Seguimos em direcção a Peniche onde o tempo estava bem mais frio. A neblina nem permitia ver o mar, mas ele estava lá. Fizemos a ciclovia lá do sitio e entrámos no estadão que nos levaria até à Praia D'el Rey. Atravessámos o empreendimento destacado por casinhas modestas (uma aldeia tipicamente portuguesa) e começámos a descer para a Lagoa de Óbidos.

Foi o melhor troço deste dia, com o contorno integral da Lagoa, numa ecopista com um piso muito bom. Foi sempre a rolar, com paragem a meio, no Carregal para almoço no Café Neptuno. Uma sopa e umas bifanas e seguimos viagem.

Na Foz do Arelho a confusão era muita. Último fm de semana de Agosto, zona turística, um mix onde nos obrigou a andar no meio do muito transito. Seguiu-se uma bela subida onde seguimos sempre por ciclovia até virarmos novamente para os trilhos junto à costa. Pelo caminho, paragem para reagrupamento e reparação do único furo da peregrinação - do Daniel. Não resisto ao comentário do Amaro - "Momento EDP "um cabrão a trabalhar zangado como a putaça e só engenheiros a atrapalhar e a mandar bitaites" ca**?»"# Fo.$%#& para vocês todos!!!"

Logo a seguir, atravessámos S. Martinho e virámos para o interior em direcção a Alfeizerão onde iríamos pernoitar na Pousada da Juventude. O jantar foi no restaurante Mar Campo, com uma caminhada de cerca de 2,5Km para cada lado incluída!

O 3º dia obrigou a uma alvorada ainda de madrugada. Saída às 06.30h para nos permitir (pensávamos nós), chegar a horas decentes para almoçarmos em Fátima, pois o restaurante estava marcado para as 15h e encerrava às 19h. Seguimos por estrades agrículas paralelamente à A8 por entre pomares carregadinhos de fruta. A direcção era Alcobaça, mas antes uma subida pois já estávamos quase com 20Km e o acumulado não passava dos 100m Os 1350m anunciados para este dia tinham de estar em algum lado. No final da subida encontrámos a aldeia de Vestiaria onde parámos para um cafezinho e depois foi só descer até Alcobaça com paragem obrigatória para foto.

Até Aljubarrota onde visitámos o tumulo da padeira, ainda tivemos de transpirar um bom bocado. E não estou só a falar do calor! Depois foi um pouco de estrada até à zona da Pedreiras onde entraríamos na Serra com a subida do dia, ou melhor, da Peregrinação - baptizada pela "Labruja da Bezerra". Foi uma caminhada até lá ao cimo... Mas depois recuperámos, pois entrámos na belíssima ecopista da Bezerra, com bonitas paisagens e o melhor... cerca de 10Km a descer!



Depois... novamente serra. Subidas em mais subidas... Na zona do Castanhal fomos abençoados por um posto da GNR-GIPS no meio do nada. Valeu-nos a água fresca e gelo que nos disponibilizaram e a mangueira onde a maioria tomou um banho, ou pelo menos refrescou a cabeça.

Continuámos o nosso percurso, com passagem pela Pia d'Urso, onde pensávamos que daqui até Fátima seria sempre a descer, pois já estávamos a menos de 10Km. Enganem-se, pois entrámos no trilho dos moinhos e antes de chegar lá cima, viragem para uma descida com um pouco de gravilha onde o Mimosa teve uma queda mais aparatosa. Embora, tal como ele disse, fossem só uns arranhões e o orgulho feridos, a verdade é que nos pregou um valente susto. Caminhámos até a povoação mais próxima para avaliarmos melhor a situação e decidimos continuar. Até Fátima foi sempre por alcatrão e sempre a rolar. Chegámos a Fátima com os aplausos dos nossos Familiares e Acompanhantes, que nos nos esperavam pacientemente. O atraso foi brutal e ainda tínhamos de arrumar as bikes e tomar banho. Isto tudo porque o almoço havia sido adiado constantemente e o restaurante fechava às 19h. Chegámos ao Pátio dos Pastorinhos às 18h para um almoço a horas de quase jantar!

Agradecimentos a todos os participantes, familiares, amigos e acompanhantes pelo apoio. Foram 3 dias de excelente convívio de grupo recheada de muitos ingredientes que temperaram esta Peregrinação numa das melhores dos Papa Trilhos. Obrigado!



Os dados oficiais da Peregrinação são estes:

Dia 1: 108Km (descontados os 20Km do comboio), 1656m D+

Dia 2: 83Km, 854m D+

Dia 3: 71Km, 1368m D+

No total temos:
- distância: 262Km
- acumulado: 3878m D+

Sem comentários:

Enviar um comentário