GALA PAPA TRILHOS 2017 - 10º ANIVERSÁRIO - 01 de Dezembro. .

Papa Trilhos® - Fernão Ferro/Seixal

Os Papa Trilhos surgiram a partir de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pelo BTT e cujo o lema é "Pedalar com a Natureza".

Aos domingos de manhã alguns elementos da equipa e outros amigos juntam-se para ir pedalar. Por isso se também quiseres ir pedalar, aparece no Parque das Lagoas de Fernão Ferro/Seixal (largo das festas populares - GPS 38,557800º -9,091630º), aos domingos, 08.30h (horário de inverno). Vê a mensagem de
"Ponto de Encontro" publicada todas as semanas onde são agendadas as voltinhas e passeios dessa semana. Uso obrigatório de capacete.
Contactos: papatrilhosbtt@papatrilhos.com

Nota: os participantes em voltinhas ou eventos Papa Trilhos aceitam a cedência dos direitos de imagem nas fotos tiradas para publicação no site.

Calendário Papa Trilhos

Iniciativas Papa Trilhos

- eventos e passeios - consultar calendário.
- Tróia/Sagres, 16 Dezembro - informações.
- Gala Papa Trilhos 2017, 01 Dezembro - inscrições.


quinta-feira, 24 de maio de 2012

14º Raid Alvalade-Porto Covo - 2012-05-20 - 72Km

Reportagem por CaJo San

Depois admiram-se que um individuo, que até tem vontade em andar de bicicleta, de os acompanhar nas voltinhas domingueiras, queira fazer parte de um grupo altamente motivado para o desporto biciclado, assim que se mostra um bocadinho, como foi o meu caso, é logo sobrecarregado com trabalho extra. Porque não foram chamados, por exemplo: O Mimosa ou a Gina, o Nelson ou a Sandra, o Félix ou a Dora, o Fernando ou a Carla Lapa, a Marlene, a Paula Crespo, o Ni, o Ricardo ou o José Frade, o Lorival, o Helder Rocheta, a Helena, o Amaro, o Pena, o Tózé, o Rui, o Fernando Victor, o Bruno Lopes, o António Pereira ou o Cláudio Ramos. Dos pedalantes presentes só posso perdoar o Kimbikes, porque teve trabalho acrescido.

Ou então, tendo outro ponto de vista, ou seja, o do apoiante incondicional dos Papa Trilhos, como foi o caso dos pais da Marlene, o Paulo Alex por estar diminuído fisicamente e não poder participar e os respectivos pais, a Isabel do Ni, a Anita do Tózé, a Bia do Lorival, a D. Sofia mãe da Paula, a Mariana, o Gonçalo ou o Leandro. Qualquer destas pessoas presentes poderia ter feito a reportagem, mas não. Foi a mim que tocou e logo em coro, Cájó, Cájó!... Talvez pensassem que eu andaria perdido e estivessem a chamar por mim. Isso não se faz, hã!!!

De acordo com o prospeto do evento que dizia 740 metros de acumulado e cerca de 70 km de percurso, lá foram estas 26 alminhas ao encontro da lama e da chuva.

Parque das Lagoas. Um único percalço: o de não termos iniciado a colocação de todas as biclas ao mesmo tempo. Deu azo a que não conseguíssemos colocar as 26 como é costume, dentro do autocarro, ou seja, todas direitinhas, somente sem a roda da frente. Para a próxima será melhor. Todos dentro do veículo, contagem de cabeças e, cá vamos nós, rumo a Alvalade do Sado. Teremos em situações posteriores aprender como se faz a contagem na tropa, dá muito jeito.

Cafezinho da praxe no posto de abastecimento de Grândola. Quando a Mariana me pediu um folhado de salsicha, ia-me dando um treco, 3,20 €, doeu mesmo.

Pelo caminho só se ouvia, chove, não chove, - Olha aquelas nuvens lá ao fundo, será que vêm na nossa direcção?

Chegámos a Alvalade por volta das 08h30. O Paulo, a Isabel e a Marlene, se não me falha a memória, foram logo tratar dos dorsais e dos saquinhos das ofertas. Procurámos um sítio para estacionar o autocarro. Foi no mesmo local de há dois anos. Afastado das vistas porque dali sairia a equipa secreta e de causar sensação. Começou a chover. Equipámos rapidamente. Quase todos tinham capas para a chuva.

Junto ao local de partida já havia muitos participantes. Não conseguimos ficar juntos. 09h00. Lá fomos nós. O percurso, a meu ver, foi alterado em relação a outros anos. Muito rolante com pequenas oscilações do terreno mas com bastante lama. O chão estava muito pesado pela quantidade de lama, parecia cola. Os aguaceiros não nos davam sossego. Quando aparecia um bocadinho de sol e começava a aquecer mas logo a seguir vinha a chuva e ficava frio.

Houve algumas paragens porque havia muita areia em alguns sítios ou então muita água e afunilava a marcha, criando aglomerações de bicicletas. O Ni, o Rui, o Pena, o Toze estavam mais para a frente. O Félix, a Dora, a Marlene, a Paula, a Carla, a Sandra, o Nelson, o Fernando Lapa, o Fernando Victor e eu em determinada altura juntámo-nos e até Campilhas rolámos.

Pelo meio tivemos um abastecimento, Fornalhas Velhas, Bicos (abastecimento km 28 - GPS: 37º49.033’N 008º30.509’W) essencialmente com fruta e água. As pessoas da organização sempre muito atenciosas, com receio que pudesse faltar algo. Bananas e laranjas cortadas aos quartos.

Barragem de Campilhas - abastecimento e apoio mecânico "Bikes Santiago"– km 43 – ( GPS: 37º50.798’N 008º37.069’W). Em Campilhas sim, o suprassumo do evento. Aquelas sandes de carne assada têm segredo, vai-se lá saber porquê. As meninas começaram a ficar com frio e arrancaram logo assim que puseram alguma coisa no estômago. Eu demorei mais um pouco. Recorri à oficina ambulante porque estava com um problema no desviador, levei dois grandes esticões no joelho esquerdo, fruto do bloqueio da roda pedaleira. A certa altura pensei que não iria chegar ao fim, porque parecia que se ia partir tudo. Com bastante óleo na corrente e no desviador, o problema foi minimizado.

Chegou então o Ricardo e o José Frade. Olhei para o Ricardo e achei que ele estava um bocadinho cansado. Um jovem com 13 anos a fazer aquele percurso era dose. Mas ele lá se ia safando, grande Pilão. Ainda fiquei mais um pouco. Pensei que a Helena vinha logo ali, mas não. Apesar de saber que vinha em boa companhia, o Kimbikes.

À saída da represa encontrei o Paulo Alex com o Sr. António. O resto do pessoal estava no autocarro que se encontrava perto, mas como chovia ninguém saía. Eles também iriam sair dali. Já tinham conhecimento que parte do grupo se aproximava da Serra do Cercal e, que passando o maior obstáculo da prova não demorariam muito tempo a chegar a Porto Covo.

Cercal do Alentejo (abastecimento km 51 – GPS: 37º48.055’N 008º40.325’W).  A subida para a serra é que não foi pera doce, bolas, bolas. Ainda parei para ganhar fôlego.

Pequena incursão pela serra do Cercal – “Toca do Mocho” (apoio mecânico BiciPalma km 54 - GPS: 37º48.150’N 008º41.643’W). Mais um bocadinho de óleo na corrente e lá vai ele. Do grosso das jeitosas, nada. Deixaram-me fazer a abordagem do trilho da Amazónia sozinho. Continua o espectáculo de sempre e melhorado, porque foram retiradas algumas pedras traiçoeiras e troncos também. Só faltavam os trilhos largos até Porto Covo. Puro engano. O vento tinha se apoderado daquelas terras e às vezes com chuva, dificultava a progressão. Cheguei a ter a sensação de que andava para trás.

Tabuleta dos últimos 5 km, 3 km, já se vê Porto Covo. Energias renovadas. Passagem pela praia e subida bem inclinada em alcatrão. Logo ali a meta dos 70 km. Chegada a Porto Côvo, Largo do Marquês (GPS: 37º51.088’N 008º47.513’W). Dificuldade ultrapassada, mais uma!

Fui ao encontro do autocarro que estava junto ao Parque de Campismo para a lavagem da bicla e tomar um banho quentinho e retemperar as forças. Chegou o Lorival e o Helder, chegaram os Frades. O grupo estava quase todo. Faltava a Helena e o Kimbikes. Preparou-se o repasto junto ao edifício de um clube lá da terra. Chegaram então.

Desta vez até mesa levámos. Estamos a ficar prós nisto. Na mesa eram rissóis de leitão, huuum, croquetes, chamussas, frango assado. A D.Sofia trouxe uma bôla, muito boa! As barricas do Nelson com cerveja, sumos. Bolinhos, tartes de requeijão, sei lá o que mais. Estava tudo nos trinques. Estes pedalantes sem estes acompanhantes não eram nada. Toalhas, guardanapos, copos de plástico, sacos para o lixo, carinho, dedicação, apoio, não falta nada. Era um autêntico banquete, até nas calorias. 5 estrelas.

Estávamos todos, sem aleijões, sem mazelas, cansaditos sim, mas felizes. Cumprimos mais mais um. Não envergonhamos ninguém.

A viagem de regresso a Fernão Ferro foi calma e sem sobressaltos, fruto de uma excelente condução executada por um grande condutor. Está de parabéns o Sr. Jackson, brasileiro de nacionalidade.

As meninas já são um habitué de excelência, sem espinhas. Admirei o esforço do rapaz Frade, vai longe se continuar assim. Um grande abraço ao Helder, ao Bruno Lopes, ao António Pereira e ao Cláudio Ramos pelo esforço e companheirismo. Acho que perceberam o nosso espírito de Papa Trilhos e que quando puderem virão novamente rolar connosco. Bem hajam. Ao meu amigo Paulo Alex, que durante o percurso me lembrei algumas vezes dele, porque é costume vê-lo ali ao meu lado, rápidas melhoras amigo, fazes falta.

Uma referência elogiosa ao Papa Trilho Kimbikes pela ajuda preciosa que prestou à Helena, nunca a deixou ficar para trás, acompanhando-a do principio ao fim. Aquele rapaz vale ouro. Deve ter estado constantemente a praticar a paciência para levar a bom porto a Helena. Sem ele a Helena provavelmente teria desistido. Obrigado amigo. Mas agora tenho de lhe pagar um almoço e não é nos Pupilos, diz ele.

Um evento a repetir, eu acho.

7 comentários:

  1. O CHEIRO DA TERRA MOLHADA
    ESPALHA-SE PELO CORPO
    ESCALANDO AS MONTANHAS AO VENTO
    ESPÍRITO QUE MOVE A AVENTURA
    SOBRE AS COLINAS DA SERRA
    NASCEM ASAS QUE QUEREM VOAR
    RASGA-SE O CÉU AO SOM DA TROVOADA
    CHOVEM LÁGRIMAS DE EMOÇÃO
    QUE ALIMENTAM A SEDE
    DE CHEGAR AO FIM DESTA GRANDE MISSÃO .

    Obs. : A organização não foi assim tão boa , pois no 1º abastecimento já só apanhamos casas de laranja , no 2º as famosas sandes já se tinham evaporado e lá conseguimos umas de fiambre muitos encharcadas , no 3º já nem paramos pois estavam a arrumar as tralhas .

    O lema dos Papa Trilhos é não deixar ninguém para trás .

    Abraço
    KimbikeSan

    ResponderEliminar
  2. Correção : onde se lê "casas" deve ler-se "cascas"

    ResponderEliminar
  3. Bom dia familia Papa Trilhos....
    "Pode ser que um dia deixemos de nos falar...
    Mas, enquanto houver amizade,
    Faremos as pazes de novo.

    Pode ser que um dia o tempo passe...
    Mas, se a amizade permanecer,
    Um de outro se há-de lembrar.

    Pode ser que um dia nos afastemos...
    Mas, se formos amigos de verdade,
    A amizade nos reaproximará.

    Pode ser que um dia não mais existamos...
    Mas, se ainda sobrar amizade,
    Nasceremos de novo, um para o outro.

    Pode ser que um dia tudo acabe...
    Mas, com a amizade construiremos tudo novamente,
    Cada vez de forma diferente.
    Sendo único e inesquecível cada momento
    Que juntos viveremos e nos lembraremos para sempre.

    Há duas formas para viver a sua vida:
    Uma é acreditar que não existe milagre.
    A outra é acreditar que todas as coisas são um milagre."

    Albert Einstein

    Como o Cajó escreveu e muito bem,"um individuo até já tem vontade de andar de bicicleta",sentimento que partilho com ele.Regressar ao seio da familia foi para mim fantástico,é como regressar a casa depois de uma longa viagem em que temos as pessoas que amamos à nossa espera cheias de saudade,foi este o sentimento que tive neste espetacular passeio.
    Começando pelos nossos papa trilhos não pedalantes,estes estiveram como sempre 5 estrelas,preocupados,atentos e entusiastas para com os que estavam pedalando.
    Gostava de deixar um agradecimento muito especial às minhas duas amigas Dora e Marlene que me acompanharam do inicio ao fim e acreditaram em mim de uma forma que nem mesmo eu fui capaz de o fazer. Também não quero esquecer o Felix que fez questão de acompanhar as"gajas" como um autentico guarda de honra.
    Mas existem dois outros acontecimentos que não posso deixar de referenciar,a nossa amiga Carla Lapa que energeticamente realizou este passeio como se andasse à anos no pedal,parabéns amiga. E o Kimbikes,que foi um puro papa trilho, tendo acompanhado a Lena durante toda a prova com o seu entusiasmo e dedicação,foi bonito.
    Por fim, esta é para ti Paulo,conseguis-te deixar-me com a lagrima no canto do olho, quando naquela subida final,senti que estavas a pedalar connosco,as tuas palavras bateram cá dentro,sabes do lado esquerdo onde existe um orgão ao qual chamamos coração,é isso amigo.Há e adorei o teu beijo mesmo no centro do meu capacete cheio de lama ,é preciso muita coragem.Um beijo muito especial para o meu vizinho Tó Zé que sempre com grande preocupação faz o transporte da minha menina.
    Obrigada a todos sem excepção,os amigos que não nomei não foram esquecidos,estão todos aqui dentro.
    Foi um dia fantástico,adorei,mas acho que é o momento para terminar,pois vocês os que conseguirem ler as minhas lamechices até ao final (podem sempre ler por em várias etapas,ehehe) já estão a pensar mas isto nunca mais termina,pronto...FIM
    Beijinhos para todos.

    ResponderEliminar
  4. Mais um ano e mais um Raid Alvalade - Porto Covo, que para mim foi dos melhores senão mesmo o melhor que já fiz em termos de btt.
    Tudo correu lindamente, até o tempo "ajudou" à festa tornando-o ainda mais interessante.
    Fiz o percurso sempre na companhia do Ni, Pena e Tó Zé sempre com espírito de entre ajudado princípio ao fim.
    Parabéns a todos os que participaram e concluíram o Raid assim como os parabéns aos nossos acompanhantes pela ajuda, incentivo e força que nos deram.
    Beijos e abraços

    ResponderEliminar
  5. Mais um raid Alvalade-Porto Covo,mais uma aventura,lama,chuva,vento,sol, tudo apanhamos pelo caminho mas todos chegamos ao nosso destino,por isso muito parabéns aos meninos e meninas que chegaram todos lamiados. Parabéns aos nossos acompanhantes por tudo e um agradecimento para aqueles que pensaram, executaram a logistica do passeio e do comes e bebes que é muito importante para que não faltasse nada,penso que foi cumprido.
    Até ao próximo.Beijos e abraços.

    ResponderEliminar
  6. Mais um passeio com um tempo !!!!!!!!!!
    O mais importante era não chover no come e bebes que correu lindamente.... Quanto á bebida estava fresca e os croquetes picantes para o ano há mais.
    Quanto a ti Cajo foste o escolhido visto apareceres pouco e não calhar sempre aos mesmos!!! desculpa lá mas a reportagem não podia estar melhor obrigado até á proxima

    ResponderEliminar
  7. Excelente reportagem e para mim que foi uma estreia neste Raid foi um excelente dia de BTT com um excelente grupo com muita simpatia e animação.
    Quero agradecer a todos a maneira como nos receberam a mim, ao António Pereira e ao Claudio Ramos foram impecáveis e foi tudo muito bem organizado.
    Quanto ao Raid adorei tem excelentes paisagens sem muita técnica bastante rolante e com um ambiente espectacular mas mesmo assim fez-me alguma confusão a maneira como muitos encaram este Raid ultrapassando por qualquer lado sem avisar e pondo os outros em risco de cair como se houvesse alguma taça para ganhar.
    O tempo foi o pior que já apanhei a pedalar: muita chuva, lama, sol, trovoada, granizo e aquele vento forte de frente a chegar a Porto Côvo houve um pouco de tudo e diz-me o Nelson no autocarro que o Raid a Fátima foi bem pior em termos de chuva/lama nem imagino.

    Obrigado a todos e um especial ao Paulo por toda a disponibilidade em ajudar e permitir a minha estreia neste Raid ... rápidas melhoras. :-)

    ResponderEliminar