GALA PAPA TRILHOS 2017 - 10º ANIVERSÁRIO - 01 de Dezembro. .

Papa Trilhos® - Fernão Ferro/Seixal

Os Papa Trilhos surgiram a partir de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pelo BTT e cujo o lema é "Pedalar com a Natureza".

Aos domingos de manhã alguns elementos da equipa e outros amigos juntam-se para ir pedalar. Por isso se também quiseres ir pedalar, aparece no Parque das Lagoas de Fernão Ferro/Seixal (largo das festas populares - GPS 38,557800º -9,091630º), aos domingos, 08.30h (horário de inverno). Vê a mensagem de
"Ponto de Encontro" publicada todas as semanas onde são agendadas as voltinhas e passeios dessa semana. Uso obrigatório de capacete.
Contactos: papatrilhosbtt@papatrilhos.com

Nota: os participantes em voltinhas ou eventos Papa Trilhos aceitam a cedência dos direitos de imagem nas fotos tiradas para publicação no site.

Calendário Papa Trilhos

Iniciativas Papa Trilhos

- eventos e passeios - consultar calendário.
- Tróia/Sagres, 16 Dezembro - informações.
- Gala Papa Trilhos 2017, 01 Dezembro - inscrições.


terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Passeio de Setúbal a Vila Real de Stº António - 2º Dia (Beja - Alcoutim) - 106km

Após a 1ª etapa com muitos Kms, aguardava-nos a melhor etapa desta aventura - Beja até Alcoutim, com a passagem pelas míticas Minas de S. Domingos. Mas vamos lá começar desde o inicio...

Os 6 meninos já estavam em Beja. Mas mais 4 iriam juntar-se a eles. A alvorada para os lados de Fernão Ferro foi bastante cedo e às 06.20h já estávamos a sair de casa do Mimosa rumo a Beja (de carro, claro!). Os atletas eram eu (Paulo Alex San), o Mimosa San, CaJo San e o Mário San. As nossas acompanhantes que depois iriam levar as nossas bagagens até Alcoutim eram a Marlene San e a Helena San.

Chegámos a Beja cerca das 08.15h e o pessoal que dormiu na pousada estava a tomar o pequeno almoço. Preparámos as bikes e estávamos prontos para pedalar. Às 08.30h lá fomos nós com o objectivo de chegarmos até Alcoutim onde iríamos pernoitar na Pousada da Juventude lá do sitio.

Saímos de Beja pela EN260 e estávamos ainda no aquecimento quando o Paulo tem o seu 1º furo.

Aproveitámos a beleza da paisagem local para tirar algumas fotos.

O percurso era calmo e sem dificuldades de maior, sempre a rolar por alcatrão. Efectuámos uma pequena paragem em Serpa para tomar um cafezito. O dia havia amanhecido com sol, mas fazia-se sentir algum frio.

Em Serpa deixámos para trás a EN260 e seguimos pela estrada que passa por Salvador e Santa Iria. O Mimosa e os seus conhecimentos locais, lá tinha uma comitiva para desejar umas boas pedaladas ao pessoal.

O dia ia avançando, assim como os Kms percorridos. Pelo caminho íamos aconchegando as vistas com as belas paisagens no nosso Alentejo e outras coisas que eram mais apreciadas no prato.


Chegámos à aldeia de Mina de S. Domingos já à hora de almoço e fomos logo à procura da tasca local para repor as calorias gastas até então.

Aproveitámos também para visitar a praia fluvial que no verão tem uma grande afluência.

Seguimos depois para as minas. Aqui a paisagem mudou radicalmente. Entre ruínas e caminhos de terra, era bem visível a industria de outrora.


A Mina de São Domingos e a respectiva aldeia mineira correspondem a um antigo couto mineiro localizado na freguesia de Corte do Pinto, concelho de Mértola. A mina tinha ligação ao porto fluvio-marítimo do Pomarão, no rio Guadiana, por meio de um caminho-de-ferro mineiro de via reduzida com cerca de 15 km de extensão. A história da mina de São Domingos é anterior aos tempos do Império Romano, altura em que os trabalhos se intensificaram com a exploração do chapéu de ferro que cobria a massa piritosa, para exploração de cobre, ouro e prata.


No século XIX, em 1858, tem início a exploração recente da mina pela companhia Manson and Barry, tendo-se prolongado os trabalhos por mais de um século até 1966, ano de encerramento da mina, após esgotamento do minério.


Fomos pelo trilho da antiga linha do comboio que ligava as minas ao Pomarão. O caminho estava bom, com algumas poças de água. As pontes da linha do comboio estavam em ruínas e era necessário encontrar alternativas na tentativa de não molhar os pés.



O percurso era excelente e o espírito de aventura transbordava em cada pedalada. As dificuldades, essas, eram secundárias.


A chegada ao Pomarão foi feita com uma enorme descida onde aproveitámos para bater os nossos records de velocidade.


Aqui estava à nossa espera um barco para atravessarmos o Rio Chança (afluente do Guadiana) até à outra margem.

Desde o cais até à aldeia de Mesquita foi quase sempre a subir. Fomos oscultar os locais para ver como estava a Ribeira do Vascão, pois a nossa intenção era atravessá-la de bike. Caso não fosse possível, teríamos de ir dar a volta por Mértola o que iria adicionar bastante mais tempo ao percurso e queríamos evitar pedalar de noite. As entrevistas que fizemos eram unânimes - "a ribeira está com uma corrente muito forte", "a água chega-vos pelo peito", "ainda hoje de manhã lá estive e não dá para passar". Os comentários não eram animadores. Nada como irmos investigar.


Não dava pelo peito, mas a corrente estava forte! Molhámos os pezinhos e outras coisas mais, mas chegámos todos ao outro lado. Foi uma grande aventura!


Dificuldade superada, seguimos pela serra dentro. A noite já nos estava a perseguir e o Paulo lá teve mais um furo. O Ricardo, solidário, partiu a corrente. Resolvidos os problemas mecânicos fomos já com noite sobre nós até Alcoutim para descansarmos até ao dia seguinte.

Dos concelhos do Algarve, Alcoutim, com os seus 576,57 quilómetros quadrados de área, é o que mais a nordeste se situa. Tendo a ribeira do Vascão a separá-lo dos concelhos de Mértola e Almodôvar a norte, faz fronteira a oeste com Loulé e a sul com Tavira e Castro Marim e entre a serra do Caldeirão e o rio Guadiana, fronteira natural com a vizinha Espanha.

As nossas bagagens estavam nos quartos, deixadas pelas meninas (o nosso sincero agradecimento!) e até tivemos direito a dedicatória.

A seguir ao jantar fomos ainda fazer uma pequena visita pela aldeia onde tivemos a oportunidade de conviver com um local que por ali andava. Aproveitámos e registámos o momento.

Foram cerca 106Km com muito boa disposição e espírito de camaradagem. O acumulado de subidas foi de 1211m.

Todos os vídeos desta etapa podem ser visualizados nestes links:
vídeo 1, vídeo 2, vídeo 3, vídeo 4, vídeo 5, vídeo 6, vídeo 7.

5 comentários:

  1. Boas,
    Espectáculo,pelas imagens foram 3 dias de pura diversão, parabens a todos por terem concluido mais esta etapa.
    Espero que daqui a algum tempo possamos lá ir todos...

    Um Abraço
    Carlos Prazeres San

    ResponderEliminar
  2. Amigos, esta vossa volta foi espetacular, estão todos de parabéns.
    Queria começar por agradecer o cÂntico de parabéns a todos os Homens presentes no comboio, adorei, não é todos os dias que uma mulher tem tantos Homens a cantar para ela.
    CONTINUANDO OS AGRADECIMENTOS E NÃO MENOS IMPORTANTES, PORQUE AQUI DIRIJO-ME A TODA A "FAMILIA PAPA TRILHOS", SUPREENDERAM-ME NO FINAL DESTA VOLTA QUE TERMINOU NA NOSSA CASA (CARLOS SAN E PAULA), QUANDO APARECERAM COM AS VELAS ACESAS NUM BOLO PARA FINALIZAR O MEU DIA DE ANOS, VIRAM-ME UM LADO MAIS "SENSIVEL", MAS ACREDITEM ERAM LAGRIMAS DE FELICIDADE.COSTUMA-SE DIZER QUE A FAMILIA É A QUE DEUS NOS DÁ E OS AMIGOS SÓ ESCOLHEMOS OS QUE QUEREMOS, POIS EU JÁ VOS ESCOLHI TEM TODOS UM LUGARZINHO NO MEU CORAÇÃO.
    UM MUITO, MUITO OBRIGADO PARA TODOS, MUITAS JOCAS DA PAULA CRESPO PRAZERES." FORAM O MAXIMO, PARA NÃO VARIAR".

    ResponderEliminar
  3. Mais uma etapa cumprida mais uma vez parabéns.
    Tens razão Carlos para a próxima temos que acompanha-los.
    Um abraço

    ResponderEliminar
  4. Paula não tens nada que agradecer como a Sónia costuma dizer "foi do coração"
    Um beijinho Marco e Sónia

    ResponderEliminar
  5. De etapa em etapa se vai marcando no mapa dos Papatrilhos as aventuras e desventuras de um grupo de amigos que vibram e fazem vibrar quem com eles pedala ou os vais acompanhar.
    Na etapa do 2ª dia, eu e a Helena San acompanhámos 4 elementos do grupo ao ponto de mais uma partida, Beja.
    Confesso-vos que na hora de pedalar fica sempre um "bichinho" cá dentro a roer por não os ir acompanhar,
    mas desta vez tinha mesmo de ser assim.
    Também tive a minha cota parte de aventura em terras Alentejanas.
    (Helena ainda bem que existem rotundas no Alentejo !!!!)
    De regresso a casa com as bikes e os " meninos" no pensamento com o desejo que tudo corresse pelo melhor.
    Fiquei muito orgulhosa por todos terem chegado a Alcoutim são e salvos. Parabéns a todos pelo sucesso desta vossa 2ª etapa.

    ResponderEliminar