Recomendações: proteja-se a si e à sua família e amigos. Use máscara em locais fechados. Lave as mãos com frequência. . . .

Papa Trilhos® - Fernão Ferro/Seixal

Os Papa Trilhos surgiram a partir de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pelo BTT e cujo o lema é "Pedalar com a Natureza".

Aos domingos de manhã alguns elementos da equipa e outros amigos juntam-se para ir pedalar. Por isso se também quiseres ir pedalar, aparece no Parque das Lagoas de Fernão Ferro/Seixal (largo das festas populares - GPS 38,557800º -9,091630º), aos domingos, 08.00h (horário de verão), 08.30h (horário de inverno). Vê a mensagem de
"Ponto de Encontro" publicada todas as semanas onde são agendadas as voltinhas e passeios dessa semana. Uso obrigatório de capacete.
Contactos: papatrilhosbtt@papatrilhos.com

Nota: os participantes em voltinhas ou eventos Papa Trilhos aceitam a cedência dos direitos de imagem nas fotos tiradas para publicação no site.

Calendário Papa Trilhos

Iniciativas Papa Trilhos

- eventos e passeios - consultar calendário.
- Renovação Seguro FPCUB para 2021 - consulta.





terça-feira, 25 de maio de 2021

Lisboa -> Fátima em uma etapa - 2021-05-23 - 161Kms/1633D+

Reportagem por Joaquim Pena

Era uma ideia muito antiga que tinha, a de fazer o percurso de Lisboa até Fátima em BTT, no mesmo dia.

Já fiz os caminhos de Fátima por vários percursos. Desta vez foi decidido fazer o percurso do caminho do Tejo com uma variante antes de Santarém e outra entre Monsanto e o Covão do Feto feita por mim, a partir de um track que fiz no Raid de Minde em 2011, já feita por mim diversas vezes e que recomendo a quem nunca fez.

Ponto de encontro marcado para as 5:45 na estação do Fogueteiro, com o Luís Saiote, parceiro desta aventura, para apanhar o comboio das 5:58 com destino a Lisboa à estação de Entrecampos.


Começamos a pedalar em Entrecampo pela ciclovia até ao Parque das Nações, com um percurso bastante agradável.

Saímos do Parque das Nações em direção à Ponte Vasco da Gama para entramos no trilho que segue ao longo do rio Trancão.


Na zona do Forte da Casa seguimos pelos passadiços de madeira.


Em de Vila Franca de Xira paramos um pouco para comer, seguimos atravessando o Jardim Municipal Constantino Palha em direção à estrada que passa por baixo da Ponte Marechal Carmona.


Em vila Nova da Rainha, fizemos o percurso até à Azambuja pelo lado direito da linha do comboio, por um estradão com muito bom piso. Das várias vezes tinha feito o caminho, esta parte do percurso foi feita pela estrada Nacional.

Entrada na Lezira com os terrenos em preparação para as novas culturas e em alguns casos já bem verdejantes.


Atravessamos a Ponte dona Amélia duas vezes para ir comer a famosa bifana do Silas.

Estávamos mais ou menos a meio do percurso, mas não a meio das dificuldades.

No inicio da subida para Santarém viramos à direita, para fazer o percurso até à estação do comboio com vista para o Tejo, passando por baixo da Ponte Dom Luís I. (Esta parte do percurso não faz parte do caminho do Tejo, mas recomendo).


A seguir à localidade Arneiro das Milhariças temos sempre que enfrentar a dura subida até aos moinhos.


Em Amiais de Baixo fizemos o percurso pela praia fluvial dos Olhos de Água, fazendo a subida das nascentes do Alviela, seguindo em direção a Monsanto e Covão do Feto.

Antes do Covão do Feto, na zona onde já há vários anos se encontra um tubo de plástico na berma da estrada, viramos à esquerda para fazer um magnifico trilho que nos leva à estrada de alcatrão de acesso à subida que termina no miradouro e Minde.



A descida para Minde foi feita, não pela estrada de alcatrão, mas pelo carreiro dos peregrinos com uma inclinação aproximada de -19% com muita pedra onde é necessária muita concentração e técnica.

Faltava a dura subida, de Minde até às Eólicas, que pode ser dividida em duas partes, até ao Covão do Coelho, onde existe alguns metros de terreno plano para recuperar um pouco o folego e do Covão do Coelho até às Eólicas.


Faltavam os 10kms finais, que já não apresentavam dificuldades de maior, mas com o vento forte contra durante todo o dia e com o acumular do cansaço, parecia que nunca mais passavam.

Chegamos a Fátima por volta das 18:25h, com 161kms percorridos.


Agradecimento ao Luís Saiote por alinhar comigo nesta aventura.

Um agradecimento especial à Fátima Saiote e à minha família, Fernanda, Rita e Miguel por nos darem o apoio necessário para concretizar esta aventura.

Sem comentários:

Enviar um comentário