ECOPISTA do DÃO - EVENTO CANCELADO.

Papa Trilhos® - Fernão Ferro/Seixal

Os Papa Trilhos surgiram a partir de um grupo de amigos que têm em comum o gosto pelo BTT e cujo o lema é "Pedalar com a Natureza".

Aos domingos de manhã alguns elementos da equipa e outros amigos juntam-se para ir pedalar. Por isso se também quiseres ir pedalar, aparece no Parque das Lagoas de Fernão Ferro/Seixal (largo das festas populares - GPS 38,557800º -9,091630º), aos domingos, 08.00h (horário de verão). Vê a mensagem de
"Ponto de Encontro" publicada todas as semanas onde são agendadas as voltinhas e passeios dessa semana. Uso obrigatório de capacete.
Contactos: papatrilhosbtt@papatrilhos.com

Nota: os participantes em voltinhas ou eventos Papa Trilhos aceitam a cedência dos direitos de imagem nas fotos tiradas para publicação no site.

Calendário Papa Trilhos

Iniciativas Papa Trilhos

- eventos e passeios - consultar calendário.
- renovação do seguro da FPCUB 2017 - consulta.
- Ecopista do Dão, 16 e 17 Setembro - informações. CANCELADO


quarta-feira, 29 de junho de 2011

Ponto de Encontro - Semana 27

Para esta semana, a proposta do Ponto de encontro é a seguinte:
- 4ª feira, dia 29: Voltinha nocturna. Ponto de encontro às 20.30h no Parque das Lagoas.
- domingo dia 03: Voltinha domingueira Papa Trilhos. Ponto de encontro às 08.00h no Parque das Lagoas ou às 08.20h na GALP da Qta do Conde.

Caso haja interesse em marcar mais alguma voltinha, deixem aqui a mensagem para conhecimento do restante pessoal.

terça-feira, 28 de junho de 2011

O Pastelinho de Nata - 2011-06-23 - 60Km

Reportagem por Pedro Santos

Às 8:00h, lá estávamos nós cheios de pica, em Fernão Ferro. Houve uma separação em dois grupos: uns com desejo de usufruir do lazer da praia e outros com a cobiça pela intensidade da pedalada. De FF saíram o Carlos Prazeres, o Quim Bikes, o Jorge e eu (Pedro Santos), direitos a Quinta do Conde, onde se juntaram o Mimosa e Marquito.

Apanhamos então a estrada para Azeitão, desviando depois em direcção a Sesimbra, no cruzamento a seguir a Casal de Bolinhos, isto sempre por asfalto. A meio da 379, saímos para a terra, em direcção à Pedreira de Sesimbra.

A seguir à pedreira tivemos umas subidinhas, curtinhas, mas intensas, onde a seguir foi descer, descer, descer, sempre a abrir, até chegarmos à praia. Houve direito a bater uns records de velocidade, 81Km/h para mim e 85Km/h para o Jorge.

Já na praia, aproveitou-se para dar uma lavadela à vista, que vinha ainda embaciada com tanta adrenalina das descidas e parámos 10 minutinhos para desgostar um maravilhoso pastelinho de nata, ainda quentinho e com um pozinho de canela, acompanhado de um café.

À saída de Sesimbra, foi um instante enquanto as calorias do pastelinho se foram. Foi subir, subir, subir, até que finalmente, lá estabilizamos a altitude. Voltamos pela estrada 378 (menos uma unidade da que usamos na ida), direito a Fernão Ferro, sempre a abrir. À passagem pela Quinta da Apostiça, saímos do alcatrão e fomos pelo estradão, onde houve direito à indispensável fotografia de grupo.

Já em FF, as despedidas e todos a caminho do santo almoço.
Foram cerca de 60Km bem intensos, superando os 20Km/h de média

sábado, 25 de junho de 2011

Voltinha com paragem na... - 2011-06-23 - 32Km

Reportagem de Nelson San

Existindo duas voltinhas previstas, lá nos juntámos no Parque das Lagoas às 8h, dividindo-se o grupo em dois: os que iriam em direcção á Quinta do Conde (Galp) e o outro em direcção á Fonte da Telha com os mais pequenos que retornaram aos passeios após a sua tarefa terminada, a escola pois claro!

Assim seguimos em direcção ao portão da Apostiça e por fim a estrada que dá acesso à Fonte da Telha onde os mais pequenos seguiram em fila indiana, pois existia uma grande afluência de trânsito (é feriado).

Chegando à Praia, lá se encostaram as bikes umas às outras para não terem frio... e nos preparamos para outro tipo de actividade física, o voleibol,  com a conclusão que estão mais bem preparados para o BTT do que para este desporto. Já me esquecia que o problema era o vento que se fazia sentir e não a preparação.

Com o avançar da hora e o reabastecimento feito, preparamos para a segunda etapa - o retorno que foi feito pela Apostiça lado da Lagoa.

Com uma paragem para reagrupar e aproveitando para tirar a foto de grupo de mais este passeio diferente, o qual ganhou adeptos pelos comentários dos mais pequenos. O problema é que no fim, ninguém dos mais pequenos estava disponível para fazer a reportagem - deve-se dever ao excesso de trabalho (FÉRIAS)...

Passeio com 32 KM com a participação: Dani, Rute, Daniel, Pedro, Leandro e os acompanhantes Ni , Nelson, Paulo Felix, Dora e Sandra.

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Lisboa ON BIKE - 2011-06-18 - 24Km

Reportagem por CaJo San

O Grupo Cultural, Desportivo e Recreativo da EMEL, quis promover no seu 12º aniversário (Parabéns), a Mobilidade e o Desporto em Lisboa. Para isso solicitou a ajuda a algumas entidades, entre elas o Instituo dos Pupilos do Exército, razão pela qual tive conhecimento do evento.

Paulo Alex San , Helena San, Mariana e moi même, resolvemos integrar um pelotão, que se “ajuntou”, já muito para além da hora prevista, 10H00, no Jardim do Arco Cego, em Lisboa.

Tínhamos chegado cedo aos Pupilos, onde deixámos os carros e fomos de bicla até ao Jardim do Arco Cego. Ainda fomos fazer inscrições no secretariado e receber os respectivos dorsais. Encontrámos por lá parte do grupo dos Pilões do Monte, já nossos conhecidos. Estávamos todos muito bem dispostos e a reportar o que em ambos os grupos tinha acontecido na epopeia da ida a Santiago de Compostela, as nossas peripécias e desventuras. Apareceu então o boneco do chocapic, que resolveu sentar-se na bicicleta da Mariana, a fim de tirar uma foto com ela.

Entretanto, a saída foi lá para as 10H40, utilizando sempre as vias cicláveis da cidade de Lisboa. Saímos com direcção à Av. Duque D’avila, Av. Calouste Gulbenkian, descemos a Rua de Campolide, dirigimo-nos para a Radial de Benfica. Viemos sempre numa amena cavaqueira com os Pilões do Monte, principalmente na pessoa do Filipe Coisinhas, aliás isto era um passeio.

Fizemos uma pequena paragem junto aos Pupilos, já no Monsanto, para beber um copito de água e aproveitarmos para algumas fotos. Passámos a ponte ciclo-pedonal junto à Pastelaria Califa e fizemos uma pequena paragem para agrupar e telefonámos ao Rui San, é por aqueles lados que ele se esconde.

Encontrámo-nos aí com ele, tipo visita de médico, beijinhos e abraços e rumámos ao Fonte Nova, depois CC Colombo e Telheiras. Já existem uns bons pares de km’s em ciclovia por esta cidade, e isso é de enaltecer. Pequena paragem junto ao estádio do SCP, para ajuntarmo-nos. A Helena aproveitou para tirar algumas fotos com o clube do seu “coraçon” em fundo.

Próxima paragem, Campo Grande, depois Entrecampos e logo a seguir Campo Pequeno. Aqui não havia ciclovia, mas com a ajuda imprescindível das motos da polícia, que nunca nos largaram, lá fomos nós pela Av. da República fora. Daí até ao Jardim do Arco Cego foi um saltinho. Mais um saquinho de chocapic chocolate, porque as moçoilas eram muito simpáticas e, adeus.

Despedimo-nos dos Pilões do Monte e rumo aos Pupilos novamente, para colocarmos as biclas em cima das voitures e irmos para casinha. A Mariana, devido às ensaboadelas quase diárias que leva de educação física, nem se queixou. Está em boa forma física.

Foram cerca de 15 km muito árduos e penosos com, se calhar 100 metros de acumulados, mais 9 km de deslocações de bicla, daí talvez a pouca anuência do restante grupo Papa Trilhos, em nada comparado com a Serra da Arrábida, mas ficam os momentos bem dispostos com que passámos uma manhã de sábado, diferente do nosso habitué.

Aniversário de Dora San - 2011-06-24

Para continuarmos na onda da semana, temos mais um aniversariante. Neste caso, é uma Papa Trilho. A Dora San está de parabéns.

quinta-feira, 23 de junho de 2011

2011-06-15 Regresso ao Choco 34km

Reportagem de Ni San

Depois da peregrinação a Santiago voltou-se às voltinhas habituais,como de costume à quarta feira a volta é feita conforme o apetite do pessoal, a vontade de fazer o 1ª abastecimento no café Brasil com uns caracóis, choco frito e umas bejecas foi do agrado dos pedalantes.Seguindo viagem pois faltava o 2º abastecimento,mas paramos na Amora para vermos o fenómeno natural que estava acontecer no céu que era fantástico eclipse parecia
que estava mesmo por cima das nossas cabeças,aproveitamos para tirar a foto de grupo,pois a próxima paragem era só no 2º abastecimento, os mil folhas estavam á espera.Como diz um amigo (Rick) precisamos de açúcar no sangue nada melhor que um bolo destes para manter o físico.A volta foi pela apostiça até ao 1º abastecimento sem paragens,estando já reabastecidos,fomos pela Amora, Seixal, Paio Pires, Quinta da Galega, Pinhal dos Frades, 2º abastecimento,novamente reabastecidos voltámos para Quinta dos FFs, sem antes termos deixado o Félix em casa não fosse ele perder-se pois o gps dele já não funcionava muito bem,mas marcou 34 kms.Os pedalantes foram o Félix San,Nelson San e o Ni San.

Aniversário de Joaquim Pena - 2011-06-23

Mais um Papa Trilho de parabéns. O aniversariante de hoje é o Joaquim Pena.

quarta-feira, 22 de junho de 2011

A voltinha da areia - 2011-06-18 - 35Km

Reportagem por Marlene San e Leandro Francisco

No Sábado dia 18 de Junho de 2011 e já passados alguns meses longe da natureza, os nossos mini Papa Trilhos regressaram ao activo e cheios de energia, tanta energia que comer o pó deles foi coisa que não nos faltou.

Com o grupo composto por 5 elementos, partimos rumo à Fonte da Telha, passando o portão da Apostiça e como é de esperar a primeira bicicleta a cair ao chão é a do Pedro, pois está claro!!! Os nossos minis, Leandro e Pedro, que felizmente abdicaram das suas PSP e Playstation, estavam imparáveis e com uma enorme vontade de colocarem a conversa em dia.

À frente seguia o grande “mestre” Nelson San que se destacava por “abrir” o caminho solidariamente. Atrás, as guardiãs dos mini, eu e a Dora.

A voltinha decorria tranquila e a chamada de atenção era mesmo e somente a “areia”… Olha “areia” e ainda mais areia. Chegados ao pé da Fonte da Telha o movimento de carros era abundante e fizemos uma pausa para repor as energias e líquidos já gastos.

Iniciámos o caminho de regresso em direcção à Nato com a mesma animação e com a mesma chamada de atenção “areia”… Ao chegarmos à velhinha estrada de Sesimbra fizemos uma pausa para a foto de grupo e para um momento de partilha (gesto que nos dias que correm cada vez é mais raro de se ver… infelizmente) - o Leandro partilhou com o Pedro a última barra energética, pois segundo ele, esta tinha poderes mágicos e ia ajuda-los a subir; ao Pedro deu tanta energia que passou a chamar-se o “ mini-fuguinhas”, simplesmente “esqueceu-se” o que significa andar em Grupo (esperar uns pelos outros). O Leandro, por sua vez, estava concentradíssimo e com ar sereno e fez com tranquilidade a subida da velhinha estrada.

Reagrupamos e seguimos caminho. Ao chegar a casa do Leandro fizemos uma substituição, o Leandro ficou em casa a descansar e entrou na corrida o mini Gonçalo, como se de uma estafeta se tratasse, prontíssimo, pés no pedal e estava traçado o destino, levar a casa a família Felix.

O regresso foi feito com muita serenidade, e ficaram assim completos 35 Km.

Leandro, Pedro, Gonçalo, Nelson San, Dora San e Marlene San.

Obrigada mini Papa Trilhos .

Aniversário de Luis Ferreira San - 2011-06-22

O aniversariante de hoje é o Papa Trilho Luis Ferreira San. Alguém o viu por aí?

Parabéns!

terça-feira, 21 de junho de 2011

Raid BTT Minde - 2011-06-19 - 50Km

Reportagem por Kimbikes

6h30m foi a hora de saída para Minde (Minhou em menderico como é conhecido). Por ser a segunda vez que participava neste passeio por serras cheias de pedras, ia com muita vontade de fazer tudo bem. Já em Minde encontro-me com a família Pena, que também ia participar - o mais novo no passeio de 6 km e a filha no passeio de 12 km.

Tudo pronto e às nove horas em ponto é dado o tiro de partida. Fazemos alguns kapas em alcatrão dentro de Minde, até ai tudo bem, tudo plano melhor dizendo, até à separação dos 20 kapas. Depois disso vêm as subidas. Primeiro um cheiro de alcatrão para logo entrarmos numa subida de mais de um kapa. Nada demais, pois não é muito inclinada, mas sim cheia de pedras. Até aos moinhos de vento, aí vem piso bom, mas para meu azar, pufffffffffffffffffffff, quer dizer - 1º furo.

Até ao primeiro controlo e abastecimento é sempre a rolar por entre fetos e eucaliptos. Aí dá-se a separação dos 30/50 kapas (é verdade que a organização teve o cuidado de ter várias distâncias para agradar a todos). O abastecimento foi muito completo até havia chouriço assado.

Segui para os meus 50 kapas, mas eis que surge uma parede de pedras, calhaus e mato rasteiro que ajudavam a limpar o pó das canelas. É claro que só se subia com a menina ao nosso lado. Depois de quase um kapa a subir até ao topo, vem um single track com mais de 2 kapas onde o perigo era eminente e se houvesse queda a pintura ficava toda riscada. Umas vezes a pé outras em pé na bikla, lá se desceu o dito single.

Já em pleno sopé da serra, eis que novamente, puuuffffffffffffffffffff - 2º furo, onde dou conta que o pneu também não se quis ficar e acompanhou a câmara de ar. Sorte a minha pois tenho sempre duas câmaras. Atamanco a coisa e sigo já sem vontade de continuar, pois ainda faltavam 20 kapas para o final. Decido procurar alcatrão e rumar ao local de partida.

Termina assim a minha inglória participação no raid, não sem antes, já quando descia para a vila, puuufffffffffffff -   3º furo!!! E foi assim que terminei a viagem em cima do pneu furado.

Com estes percalços todos perdi-me do Pena, só me encontrei com ele no final.

Ponto de Encontro - Semana 26

Para esta semana, a proposta do Ponto de encontro é a seguinte:
- 5ª feira, dia 23 - feriado: Voltinha extra. Ponto de encontro às 08.00h no Parque das Lagoas ou às 08.20h na GALP da Qta do Conde
- sábado, dia 25: Reunião Geral Papa Trilhos. Mais informações, ver mail.
- domingo dia 26: Voltinha domingueira Papa Trilhos. Ponto de encontro às 08.00h no Parque das Lagoas ou às 08.20h na GALP da Qta do Conde.

Caso haja interesse em marcar mais alguma voltinha, deixem aqui a mensagem para conhecimento do restante pessoal.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

9º Passeio BTT Pilões no Monte da Arrábida

O nosso amigo Filipe Coisinhas fez-nos chegar o programa para o seguinte passeio:

Para que o pessoal não vá de férias sem dar uma voltinha de bicicleta pela Serra Mãe com os amigos, irá realizar-se no próximo dia 9 de Julho o 9º Passeio de BTT, Pilões no Monte da Arrábida.

O programa das festas vai ser:

08h00 Concentração em frente à loja da Biciplus
08h30 Inicio do passeio guiado
10h30 Paragem, para reforço energético na Comenda
12h00 Chegada ao ponto de partida
12h10 Duche nos balneários da Biciplus
13h00 Churrascada no Moto Clube de Palmela

Temos de começar cedo para acabar cedo e não apanharmos muito calor, por isso iremos partir às 8:30, para que estejamos de volta por volta das 12h.

O passeio irá passar pelos locais mais emblemáticos da Arrábida, onde passaremos pelos moinhos, fio dental, moinho dos cucos, fim do mundo, trilho da comenda, paragem no parque de merendas e volta pelas oliveiras de regresso a Palmela. Serão cerca de 40Km em ritmo calmo e que ninguém fica para trás!

A concentração e os banhos serão nas instalações da Biciplus, que é a loja da Specialized de Palmela e que fica situada na Volta da Pedra (38.577195,-8.893728)

O almoço será uma churrascada com chouriço, bifanas e entremeadas no Moto Clube de Palmela, onde teremos oportunidade de conviver um pouco.

O preço, será 7€ e inclui o banho e o churrasco, as bebidas serão à parte. Os pagamentos serão efectuados no Moto Clube.

Confirmações até dia 4 de Julho com o número de pedalantes e de pessoal para o almoço, por mail para: piloes.do.monte@gmail.com

domingo, 19 de junho de 2011

Regresso à Arrábida - 2011-06-19 - 46Km

Reportagem por Paulo Alex San

Depois do fim de semana de Santiago, os Papa Trilhos voltam aos seus passeios domingueiros. O Ponto de Encontro estava agendado e às 08.00h lá estava o Parque das Lagoas com alguns BTTistas madrugadores. Talvez por estarmos entre fim de semanas com feriados ou porque o descanso também é necessário, mas este domingo, segundo a contagem do Felix, não éramos tantas rodas. Mesmo assim, depois de passarmos pela Qta do Conde, ainda somávamos 40 rodas.

O percurso não estava programado, mas o rumo seria a habitual Serra da Arrábida. Fomos em direcção a Azeitão e seguimos por alcatrão até à Aldeia de Irmãos. Passámos junto à Capela local para logo a seguir começarmos a subir em para a Serra.

Esperávamos uma voltinha para recuperar da nossa peregrinação, mas o guia da volta - o Riky, não nos deu descanso, e fizemos agulhas para o Paraíso. Antes da subida ainda tivemos de fazer uma paragem forçada, pois o sobrinho do Tony teve um furo.

Paraíso, só de nome, pois a subida faz mesmo transpirar. E sobe... sobe... com alguns regos pelo meio, lá fomos todos até bem ao cimo. O que vale é que a paisagem compensa. E virando para o Moinho dos Cucos, ainda melhora mais.

Foi o que fizemos e como há muito tempo que não parávamos aqui, decidimos tirar a foto de grupo.

Como já havíamos subido, a descida era obrigatória. Descemos, mas não muito. Foi só até às Necessidades, pois logo a seguir apanhámos o trilho do Cai de Costas, com algum sobe e desce acentuado. Foi numa destas subidas que o Pedro Santos, Papa Trilho recente, parte a corrente da sua bike. Mais uma paragem para tarefas mecânicas.

Descemos o Cai de Costas e virámos em direcção a Cabanas. O Riky, que continuava no comando do pelotão, alertou-nos para o que vinha - "Atenção que vamos fazer um trilho novo." Um trilho novo?!? - pensei - como ainda é possível fazer um trilho novo com 7 anos de pedalar na Arrábida? Mas a verdade surgiu. Por um single track entre arbustos e silvas e picos e outras coisas que se agarravam às pernas, lá íamos conquistando algum terreno até junto de uma quinta abandonada.

O trilho era excepcional, tirando a parte dos arranhões. Na próxima vez que passarmos por lá, certamente que estará melhor, pois trouxemos muitos dos picos.

Depois da novidade, descemos até Cabanas para irmos em grande velocidez até à Qta do Conde onde nos despedimos do pessoal que por ali ficou. Os restantes continuaram as suas pedaladas até à Qta dos FF's onde chegámos perto das 12.30h.

Foram 46Km com 707m de acumulado de subidas.

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Peregrinação a Santiago de Compostela - 2011-06-10 a 12 - 196Km

Reportagem por Paulo Alex San, versos de Isabel Santos

O grande dia havia chegado! O estágio terminou e estava tudo preparado para aquilo que para a maioria seria o maior desafio de BTT até então - 3 dias a pedalar, com cerca de 3800m de acunulado e quase 200Km. O ponto de encontro no Parque das Lagoas não atrasou, mas o autocarro tardou em chegar. Com 2h de atraso, iniciámos o embarque com o check-in das bikes e do pessoal pedalante. E lá fomos nós em direcção a Braga. Tivemos ainda lugar para levar mais uma bike... sem pedalante, mas de grande valor. Era a bike da Isabel Penteado.


DIA 1
A Pousada da Juventude de Braga amanheceu bem cedo. Com algumas janelas dos quartos abertas por motivos de refrigeração forçada de alguns quartos, a alvorada antecipou-se à hora agendada e às 07.30h já estávamos aprumados para o pequeno almoço.

Depois de registarmos a foto de grupo do inicio oficial desta peregrinação, pedalámos pelas ruas da cidade até encontrarmos a sinalização do Caminho de Santiago. Todo o caminho está devidamente assinalado, com setas amarelas no chão, postes, muros, ... Nós levávamos alguma ajuda adicional, com os tracks carregados nos GPS's.

Os Kms iniciais foram por alcatrão, com a saída de Braga bastante rolante e a descer. Somente apanhámos a 1ª subida, perto do Km 12, junto a Febros/Vila Verde. Sempre com a ideia presente de que esta seria a etapa de maior exigência física, a maioria dos elementos do grupo adoptou um ritmo moderado.

O Caminho passava por diversas capelas onde supostamente iríamos carimbar as credenciais. Mas as capelas estavam todas fechadas. Tivemos de recorrer a algumas casas de comercio para registarmos nas credenciais alguns locais de passagem.

A etapa continuou, sempre com um cenário de paisagens bastante agradáveis, que permitiam um ambiente mais descontraído. As expectativas eram altas e tudo estava a condizer. Pelo caminho ainda fomos brindados pela companhia dos amigos Carla e Jaime, que nos iriam acompanhar no restante percurso, até ao último dia. As horas a pedalar iam passando, assim como as localidades: Outrelo, Ponte Nova, Fornelos, Deveseira, até chegarmos a Ponte de Lima. O estômago já exigia algo mais que as barras, e foi nesta cidade que decidimos efectuar uma paragem para almoçar. Fomos para um café junto à marginal e reposemos as calorias com algumas bifanas, sandes. Aproveitámos para desfrutar das paisagens desta bonita cidade onde destaca-se a ponte romana sobre o Rio Lima.

Outros, satisfizeram as suas necessidades com outros recursos locais.

Seguimos viagem conscientes que a parte mais exigente do percurso estaria para vir. Depois de passarmos as terras do Salgueiro, Bandeira, entramos na pura serra, com a afamada subida da Labruja. Alguns conheciam-na pessoalmente, outros por fotos, mas a apresentação a todos foi devidamente formalizada. Inicialmente ainda pedalámos, mas depois, teve de ser mesmo à mão, costas... foi a penitência do dia! O trilho tinha muitas pedras e a inclinação era mais que muita.

Ainda antes do final da subida, passámos pela Cruz das Almas, onde muitos peregrinos marcam a sua passagem. Os Papa Trilhos também não são indiferentes a estas tradições e deixaram no topo da cruz uma bandeirinha Papa Trilhos.

Lá em cima, a vista sobre a serra permitiu fortalecer a alma e recuperar as forças para os restantes Kms. Depois de tanto subir, a descida era obrigatória. No episódio mais triste da etapa, a Isabel tem uma queda que a impossibilitou de continuar a pedalar. Tivemos que pedir ao autocarro para antecipar o regresso a Valença, pois a canela estava a inchar e eram necessários outro tipos de cuidados. O grupo, desmotivado com a situação, continuou a etapa, já sem os Papa Trilhos Isabel e Carlos Prazeres.

Mais à frente, algo de inédito no BTT acontece. Depois de passarmos uma pequena ponte, em Peorada, pedalámos mais uns metros e ouvem-se queixumes de um furo... e outro, e o meu também... aqui são 2... foram batidos vários records: no total, 9 furos, onde o Nelson e o Zé Luis, furaram as 2 rodas. Era a 2ª dose de furos, pois a Marlene já havia furado na Águalonga.

Depois de tudo solucionado e com o stock de câmaras de ar comprometido, continuámos já com o pensamento na chegada a Valença. Ultrapassámos a última subida junto a S. Bento do Porta Aberta e depois foi sempre a descer até Valença onde terminámos a etapa depois de 71Km e 1598m de acumulado de subidas.

DIA 2
O dia amanheceu com uma ligeira brisa. O pequeno almoço foi no hotel onde ficámos alojados e antes de iniciarmos a etapa, preparámos devidamente as bikes, com algumas gotas de óleo nas correntes e outras partes mecânicas. Esta etapa prometia ser menos dura, com uma distância mais curta que o dia anterior, e também sem a presença no grupo de pedalantes, da Isabel, que teve de descansar a perna.

Com Espanha já à vista, passámos a ponte metálica sobre o Rio Minho e registámos mais uma intercionalização Papa Trilhos.

Já na outra margem, tirámos algumas fotos em Tui e aproveitámos para continuar o nosso registo de carimbos nas credenciais.

Logo a seguir, iniciámos-nos nos trilhos espanhóis, com alguns estradões por entre o arvoredo denso e cursos de água a acompanhar. Estes trilhos eram interrompidos por algumas pontes completamente enquadradas no rústico da natureza.

Alguns Kms mais à frente, surgiram os 1ºs problemas mecânicos. A LaPierre do Paulo Alex começou a queixar-se da pedaleira com uma folga que estava a aumentar. Ainda houve uma pequena abordagem na tentativa de minimizar a situação, mas foi mais à frente, em Porrino que numa loja de bikes efectuou-se a assistência definitiva. Foi necessário substituir o eixo pedaleiro.

A hora do almoço já estava despertar, apesar da 1h de diferença horária para Portugal. Optámos por efectuar uma pausa para mordiscar alguma coisa por estas bandas. Continuámos o nosso Caminho, sem grandes pressas e fazendo algumas paragens para re-agrupamento. Em Redondela, fomos carimbar as credenciais no albergue local, onde fomos calorosamente acolhidos por um grupo de Portugueses que também estavam em peregrinação. Como compatriotas que somos, não podemos recusar o convite destes companheiros para petiscar qualquer coisa. Eram de nome - Jacarés, e de uma simpatia e alegria contagiante (um bem haja para todos eles!!!)

Após mais este momento de repasto, lá resolvemos voltar à pedaladas (a muito custo!). Na descida com vista sobre a enseada de São Simão não resistimos em tirar algumas fotos. Tínhamos os tradicionais marcos feitos de pedra que caracterizam o caminho e uma belíssima montra de conchas colocadas pelos peregrinos que por ali passam.

E foi uns metros mais à frente que  tivemos o 2º acidente desta nossa aventura, com uma queda da Bela que fez alguns cortes no braço. Foi rapidamente assistida pela nossa enfermeira de serviço Dora. O Riky, a Bela e o Mário seguiram à frente para chegarem mais rapidamente a Pontevedra para a Bela ir ao hospital verificar a situação. O resto do grupo seguiu viagem, com passagem por algumas localidades bonitas de admirar. Foi o caso da ponte romana em Pontesampaio.

O dia terminou depois de 58Km com 1090m de acumulado, com a chegada a Pontevedra. Depois do check-in no hotel e o merecido banho, fomos fazer um "search" de um local para jantar. Elegemos um restaurante de rodízio, para que não houvessem desculpas para o dia seguinte de falta de reposição de calorias!


DIA 3
Estávamos prestes a iniciar a última etapa desta nossa grande aventura. Estávamos separados de Santiago em 67Km e as emoções estavam ao rubro. A Isabel, ligeiramente recuperada, juntou-se ao grupo de pedalantes, assim como a Bela, completando assim os originais 26 peregrinos. A saída de Pontevedra foi a descer e rolámos a um ritmo bastante bom.

Passámos por Barro, Caldas de Reis, Valga, Padrón e estávamos progressivamente mais próximos de Santiago. Pelo caminho, íamos desfrutando de bonitos cenários naturais.

Com Santiago à vista, as forças rejuvenesceram e a última subida nem sequer cortou o fôlego à vontade de chegar à praça do santuário. Ainda não eram 15.00h, quando ocupámos a praça e saudámos o final desta Grande Aventura e demos por concluída a Peregrinação. Foram dados abraços, beijos, cumprimentos, entre alguma natural emoção, num momento que ficará eternizado nas nossas recordações... mais um!

Esta última etapa teve 1136m de acumulado e 67Km de distância.

No total, percorremos 196Km. Foram 3 dias com muitas emoções onde a gestão de 26 diferentes formas de pensar e opiniões torna-se por vezes difícil. O mais importante deverá ser sempre os laços de amizade que nos une e que nos permitiu superar com sucesso esta Peregrinação, independentemente dos motivos que nos guiaram. O objectivo alcançado foi de grande valor e este será sempre recordado com muito carinho por todos, assim como inúmeros episódios que destacam o espírito Papa Trilhos, para juntar a tantos outros que nos fazem manter a vontade de pedalar.

Para finalizar, um agradecimento aos Amigos Carla e Jaime, pela paciência de nos aturarem neste Aventura!

E depois da reportagem, nada melhor que um resumo de emoções e outros sentimentos, que retratam bem o que passámos nesta peregrinação a Santiago. A autoria é da nossa Poeta Isabel Santos:

Tentei escolher algumas palavras,
Para descrever esta aventura,
Mas depressa cheguei à conclusão,
Que era uma tarefa de loucura!

Palavras suficientes não existem
Para descrever tamanha alegria,
Houve muitas pedaladas, é certo,
Mas o convívio foi primazia!

Pois difícil será descrever,
Tudo aquilo que aconteceu,
Coisas boas, e alguns dissabores,
O positivismo VENCEU!

Divertido, fantástico, alegre,
Engraçado, emotivo e espectacular,
São apenas alguns adjectivos,
Que a poderão retratar!

Hematomas, suturas,
E outras mazelas,
Gargalhadas, sinfonias,
E algumas furadelas!

Coisas giras que nos divertiram,
Uma ou outra que nos assustou,
Tudo fez parte desta aventura,
Mas nada nos intimidou!

Num ambiente de pura amizade,
Paisagens lindas para admirar,
A natureza no seu melhor,
Caminhos únicos para desfrutar!

Caminhos esses de Santiago,
Santiago de Compostela,
Para peregrinos corajosos,
Realçando a Isabel e a Bela!

Na verdade, isto retrata na perfeição,
A força e a vontade dos Papa Trilhos,
Acho que ambas agimos irracionalmente,
Podíamos estar metidas em sarilhos!

Uma viagem de autocarro única,
Que a todos certamente alucinou,
O que valeu foi a Bike da Isabel Penteado,
Que estava lá e nos abençoou!

Todos estamos de parabéns,
Foi uma aventura a não esquecer,
Vinte seis elos bem ligados,
Uma corrente de amizade a crescer!

Muitos motivos para rir,
“Badochas”,” toros” e “pums”,
Todos chegamos ao fim,
Todos temos “diplomums”!

Muito mais poderia dizer,
Para descrever esta iniciativa,
Mas o melhor é ver as fotos,
Registadas em cada objectiva!

Um obrigado muito especial,
A quem tudo organizou,
Foi com certeza um grande empenho,
Que muito bem resultou!!!!